Quem sabe de mim, sou eu!

— Robson Pires
19/nov/2009

Caminhão na pista suspende pouso de João Maia em Caicó e coloca comitiva em risco


Por Robson Pires, em

bimotorDe acordo com informações, um caminhão propositalmente parado na pista do aeródromo Ruy Mariz teria impedido o pouso de um avião em que viajava a comitiva formada pelos deputados João Maia e Vivaldo Costa, além da equipe técnica do DNIT em Caicó nesta quinta feira, 19.

A pista de pouso passa por reforma e, por isso, a empreiteira responsável teria colocado o veículo para impedir operações que viessem a danificar o asfalto.

O piloto teve que manobrar a aeronave, seguindo para a cidade de Currais Novos, de onde o grupo veio de carro cedido pelo ex-prefeito José Lins (PR). O atraso foi de, pelo menos, duas horas, para o início de uma audiência pública sobre a construção do contorno viário de Caicó. Programada para começar ás 16 horas somente teve início às 18 horas.

O tempo fechou

O prefeito de Caicó, Bibi Costa (PR), ainda tentou convencer os responsáveis pela obra na pista a retirar o caminhão, mas ouviu uma negativa como resposta.

Ele ameaçou chamar o maquinário pesado da prefeitura, para retirar o veículo, mas não foi atendido. A aeronave teve que retornar a Currais Novos.

Bibi ficou bastante irritado, bem como a assessoria do deputado João Maia (PR).

Houve uma grande confusão.  

O blog comenta: Se a aeronave não tivesse combustível suficiente para mudar a rota de pouso para Currais Novos, o que poderia ter acontecido?

Certamente uma tragédia.


3 Comentários

  1. JACINTO LEITE AQUINO REGO disse:

    Aeronaves só decolam com COMBUSTÍVEL SUFICIENTE PRA RETORNAR AO PONDE DE SAIDA, OU NO MÍNIMO UMA GRANDE AUTONOMIA (RESUMINDO, TANQUE CHEIO!).

    BIBI COSTA DESCOBRIU QUE NEM TODAS AS DECISÕES SÃO POLÍTICAS. EXISTE A VISÃO TÉCNICA E PRUDENCIAL.

    DEUS ESTÁ NO CÉU. AQUI NA TERRA SÓ EXISTEM HOMENS…

  2. José Augusto disse:

    Acho muito estranha essa confusão toda. Se o aeroporto está em reformas é uma questão óbvia que não pode estar havendo operação (pousos e decolagens). Nem estrada, antes de estar pronta, é liberada para tráfego de carro, imagine uma pista de aeroporto.

    Eu pergunto, será que a Infraero liberou o plano de vôo do piloto com o destino a Caicó? Se todo mundo sabe, inclusive a Infraero, que o aeroporto está em obras, certamente ele decolou com o plano de vôo para alguma outra cidade (Currais Novos ou Patos) e mudou o plano, sabe-se lá com autorização de quem (da Infraero é que não foi) .

    Eu se fosse o responsável pela obra tambem não me sentiria à vontade pra liberar o pouso. Se ocorre um acidente, quem seria o primeiro a ser responsabilizado, o deputado ou o engenheiro da obra?

  3. Fabio Renato de Araujo disse:

    Os pilotos sempre fazem isso pedem um plano de voo que não é para a infraero como o colega citou é para o DAC, aqui no norte é comum o piloto fazer o plano para um pista homologada ai quando chega proximo dela ele baixa a altitude para que os radares não pegem e pousam na não homologada na volta do mesmo jeito

Deixe o seu comentário!


Twitter Facebook Instagram E-mail

  • 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00

Sábado, 25 de Novembro de 2017


Buscar no Blog



Fan Page. Curta!



No Twitter




Calendário

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930