Quem sabe de mim, sou eu!

— Robson Pires
22/nov/2009

“Iberê é o candidato do PSB. Isso é fato”, diz Wilma de Faria


Por Robson Pires, em

diógenes e wilma hojeA governadora Wilma de Faria afirma, na entrevista que segue, que o vice-governador Iberê Ferreira é o candidato de seu partido, o PSB, ao Governo do Estado. Apesar disso, continua evitando dizer que ele é o seu escolhido. Como líder das negociações para as eleições do próximo ano, Wilma se encontrar em uma situação delicada, em que ainda tenta trazer para junto de si e de Iberê o deputado estadual Robinson Faria (PMN) e o deputado federal João Maia (PR). Wilma de Faria concedeu entrevista ao jornalista Diógenes Dantas publicada no Jornal Nasemama.

Nasemana – A senhora já teve inúmeras conversas com os seus aliados, sua base de apoio e já até comunicou a eles o que deverá fazer nas eleições de 2010. Quando a senhora pretende anunciar o vice-governador Iberê Ferreira de Souza como candidato ao governo do Estado pelo seu grupo?

Wilma de Faria – Veja bem, Diógenes, eu sou a presidente do PSB, mas sou também a governadora e fui também nomeada por todos aqueles que fazem o nosso grupo político para coordenar esse processo. Então estou numa posição muito difícil e é necessário que a gente converse com todos, e possa discutir com cada partido, com cada pretendente, e essa é a minha grande responsabilidade e a dificuldade é muito grande, porque nós temos vários candidatos nesse grupo que desejam estar presentes conosco.

NS – A senhora já se decidiu pelo vice-governador Iberê?

WF – O vice-governador Iberê é o nosso candidato do PSB. Isso é fato. Agora nós precisamos apenas chegar a um consenso, porque o desejo nosso é exatamente unir esforços, somar esforços com todos os partidos que estão na base aliada do governo.

NS – Há muitas reações. O presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Robinson Faria, que é seu aliado desde o primeiro mandato como governadora, ainda resiste a qualquer entendimento no sentido de que ele tem que ser o candidato ao Governo do Estado. Como é que a senhora está encaminhando essa questão? Como está a relação com Robinson?

WF – Olha, ninguém tem uma dificuldade maior do que eu estou tendo, acredito que ninguém no Brasil tem esse tipo de dificuldade que eu estou tendo aqui no Rio Grande do Norte. Porque de um lado tenho o vice-governador Iberê Ferreira de Souza, que é o nosso vice-governador, é uma pessoa capaz, uma pessoa que demonstrou competência na administração da Secretaria de Recursos Hídricos, que tem me ajudado muito no governo, vai ser o governador na hora que eu renunciar e que, portanto, vai dar continuidade a todo nosso projeto, administrativo, nossas obras, que a gente tem muitas obras que vamos deixar para Iberê inaugurar, inclusive. Então Iberê é do nosso partido, do meu partido, então tem toda a legitimidade para ser o candidato, e, no entanto, a gente tem também o presidente da Assembleia Legislativa, que é também meu correligionário do ponto de vista da aliança desde o primeiro dia do governo, está no governo e participa do governo também desde o primeiro dia com pessoas do seu partido dentro do nosso governo, uma pessoa que também tem feito um grande trabalho, tem conseguido o apoio da população do ponto de vista da sua gestão como presidente da Assembleia Legislativa. Então, veja bem, é um presidente da Assembléia legislativa de um lado e o vice-governador do outro e ainda tem o deputado João Maia que também participa do nosso governo é um companheiro que tem nos ajudado desde o começo da nossa administração. E nós estamos conversando também com outros partidos que não estão na nossa base de governo, como o PDT, mas que têm interesse também em somar conosco. Então política é uma somação de esforços.

NS – E esse processo da “funilândia” entre os nomes de Iberê e Robinson Faria?

WF – O que nós precisávamos era de um consenso, que todos entendessem que sem consenso nós não vamos ter o sucesso que esperávamos, ou pelo menos a gente deseja ter o maior consenso possível e que haja respeito no final se não houver consenso das decisões.

NS – A senhora esteve com o deputado Robinson Faria nesse domingo. O que ele disse à senhora? Deu para conversar sobre política? Eu sei que foi uma visita familiar, pessoal, mas deu para falar sobre política, vocês avançaram nessa conversa?

WF – Realmente a nossa visita ao deputado Robinson foi no sentido também de ver como é que estava a situação dos dois filhinhos dele, eu já estive na maternidade, já tinha conversado com ele, acompanho todo dia, mas fui conversar com ele para saber como eles estavam, perguntar se precisavam de alguma coisa, pois estamos aqui sempre solidários e eu tenho certeza que ele vai vencer.

NS – E sobre política, vocês chegaram a conversar?

WF – Conversamos também. Como as coisas estão caminhando bem, a gente conversou sobre política, mas de leve, para exatamente chegar depois a uma conclusão durante essa semana.

NS – Governadora Wilma de Faria, caso o deputado Robinson não acate o posicionamento da senhora com relação ao governo do estado, não aceite sua escolha por Iberê, a senhora acredita em racha na sua base de apoio? A senhora acha que é inevitável o afastamento, o rompimento político com o grupo do deputado Robinson?

WF – Eu acho que não vai haver afastamento do deputado Robinson com a governadora Wilma. Acredito que não haja. Mas naturalmente que cada um vai poder definir a sua postura, pois cada um tem um compromisso com seu partido, com seus aliados, e a gente vai respeitar. Agora eu quero a união de todos.

NS – Caso Robinson não aceite a escolha da senhora, provavelmente por Iberê, ele vai ter que deixar e entregar os cargos do governo? A participação dele e do grupo dele dentro do governo?

WF – Eu não vou fazer conjecturas aqui. Vamos dar andamento. Vocês jornalistas adoram antecipar os fatos. Mas não vamos antecipar os fatos, até porque eu espero que haja um consenso, uma união de esforços de todos, porque o governo foi parceiro de todos e eu espero que nesse momento de decisão importante para o estado do Rio Grande do Norte, importante para o povo do nosso estado, todo mundo se preocupe não com seu problema pessoal, mas se preocupe com o futuro do nosso estado e do nosso povo.

NS – Caso ocorra um rompimento, um afastamento tanto da parte do deputado Robinson como do deputado João Maia, a senhora teme algum isolamento político no processo da eleição do ano que vem?

WF – Não, porque eu tenho certeza que a gente vai estar sempre unido. Hoje mesmo a gente já tem vários partidos que já se colocaram para somar conosco, não existe esse isolamento. Existe, por parte dos nossos adversários, um trabalho nesse sentido, não só dos adversários que buscam sempre fazer isso através de todos os meios de comunicação que eles detêm, existe também aquelas pessoas que estão no governo, mas de repente podem não estarem prestando o serviço que eu gostaria de prestar, não só por má fé, mas mais por questões de desconhecimento de como a política é realizada, de como são feitos os contatos, então ás vezes essas pessoas atrapalham também além dos adversários e eu espero que todos tenham muito juízo e bom senso nessa hora e queiram a união de esforços para beneficiar o estado do Rio grande do Norte. Precisa mudar esse processo de discussão, a disputa não é entre Iberê e Robinson, ou entre Iberê, Robinson e João Maia, a disputa é entre o candidato do nosso grupo e o DEM e outros que se disponham a se candidatar.

Nominuto.com


1 Comentário

  1. ANA LISTA disse:

    …e vai perder feio…
    Isso não funciona. Não funcionou nem mesmo com o Deputado Henrique Alves, duas vezes derrotado em eleições pra prefeitura do Natal, apesar do prestígio e liderança do saudoso ex-Ministro Aluizio Alves, em Natal.

Deixe o seu comentário!


Twitter Facebook Instagram E-mail

  • 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00

Segunda, 20 de Novembro de 2017


Buscar no Blog



Fan Page. Curta!



No Twitter




Calendário

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930