Quem sabe de mim sou eu!
Robson Pires
08/mar/2009
ás 21:34
Publicado por Robson Pires na categoria

Revista Época: do achismo a desinformação no caso João Maia

Das insinuações lançadas pela Revista Época ao deputado João Maia, somente duas teriam suposta consistência: a ocultação do avião e o arrendamento da rádio. As demais se perdem em suposições sem provas e justificativas. Achismo puro.

Sobre o avião, João Maia esclareceu que o adquiriu em 2006, ano da eleição. Declarou seus bens à Justiça Eleitoral – a exemplo de todos os candidatos – de acordo com a declaração do Imposto de Renda do ano de 2005. Portanto, em 2005 o bem ainda não lhe pertencia. E, importante, declarou a aeronave em 2007 e 2008.

O Blog conversou ontem (7) com uma autoridade pública ligada à Justiça Eleitoral. E pediu um parecer sobre o caso. Segundo disse, confirmada a data de aquisição do avião (2006), a origem do dinheiro da compra e sua declaração em 2007 e 2008, não enxerga ilegalidades como aponta a reportagem.

“Para a Justiça Eleitoral, ainda que o avião não fosse declarado nos bens do candidato, o mais importante é saber se ele foi declarado ao Imposto de Renda e de onde veio a origem dos recursos envolvidos na compra”, comentou a autoridade, anônima neste depoimento por motivos óbvios.

Sobre o arrendamento da Rádio Caicó AM, considerada uma ilegalidade pela revista, haja vista que é uma concessão pública, paremos o Brasil então. Peço ao leitor que vá ao site de busca Google e escreva “arrendamento de rádio”. Surgirá um monte de notícias falando das transações que são feitas pelo País afora.

Agora mesmo, o Grupo Estadão (dono do Jornal O Estado de São Paulo) negocia o arrendamento da Rádio Livre AM, do Rio de Janeiro. O leitor pode conferir o que digo clicando AQUI.

Até mesmo os canais de TV, que também são concessões públicas, têm feito arrendamentos. Um exemplo é a TV Bandeirantes. A emissora paulista tem arrendado espaçosos horários a uma igreja evangélica.

Como é visto no restante da reportagem, muitas divagações dignas de jornalismo lança-lama. Para o resto das insinuações o deputado João Maia tem um argumento fortíssimo em seu favor: quando entrou na política já era rico fazendo dinheiro na iniciativa privada.
Por: Josenildo Carlos


2 Comentários

  1. Arilson Medeiros disse:

    Manda esses cara se lascar e enfiar peido em cordão.

  2. Arilson Medeiros disse:

    Pelo que eu venho acompanhando sobre este caso é notório que tudo não passa de uma tentativa de queimação. Quem no Brasil não compra casas simples e até mansões e esconde do fisco e ainda não procura um cartório para registrar? Quem?

    E para completar o João Maia na época não era homem publico, ou seja, construiu o seu patrimônio com a iniciativa privada, e quando agente trabalha e constrói um patrimônio seja qual for à dimensão com o nosso suor agente faz o que quer com o que é nosso e não é da conta de ninguém, agora, se você constrói com o dinheiro publico ou ilicitamente aí a conversa é diferente.

    Mas diferente mesmo é os “nossos lideres”, eu nunca vi escândalos com Vilma, com Agripino, com Garibaldi, com Iberê, com Carlos Eduardo, com Henrique, passaríamos o dia dando nomes de pessoas como estas que são perfeitas e que nunca tiveram os seus nomes em escândalos e o pior com o nosso dinheiro, dinheiro publico e nunca deu em nada, pois moramos no Brasil

Deixe o seu comentário!


Twitter Facebook Instagram E-mail

  • 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00

Sexta, 20 de Outubro de 2017


Buscar no Blog



Fan Page. Curta!



No Twitter




Calendário

outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031